Leve-me dançando

Eu consegui pensar em mim mesma

2020.08.28 05:25 little-Flower_ Eu consegui pensar em mim mesma

(Por favor leiam até o final,quero ter outras opiniões)(pode ser meio grande desculpa)
(Esse desabafo e sobre uma ex-amiga minha)
A(Pra dar um contexto KKKKKKKKK) Bom,uma vez na escola eu e minhas amigas ficamos dançando/criando uma coreografia,Leticia puxou ele do nada pediu pra dar nota pra mim é para as meninas,depois de muito tempo o menino que se chama Lucas,pediu meu numero dizendo que gostava de mim e tals,ela passou a gente conversou bem pouco,eu fui até meio grossa com ele,por não querer me aproximar e magoar a Letícia,ele estava tentando aproximar o amigo dele da Letícia,o amigo gostava dela gosta até hoje se bobear,depois de um tempo a Letícia começou a gostar do Lucas(eu já pressentia isso),falou comigo é pá,disse tudo bem,eu não me importava se os dois ficassem juntos,não sou dona de ninguém mesmo KKKKKKKK,não deu certo,ela ficou chateada,ajudei ela de novo,uma semana atrás,ele pediu pra mim editar algumas fotos dele e da namorada dele,aceitei de boas,nisso a gente começou a conversar um pouco mais(sem nenhuma intenção,afinal ele namora,e também não gosto dele,só como amigo mesmo),até falávamos o que achávamos um do outro antes de nos conhecer,eu mandei algumas fotos minhas assim como ele fez também,aquelas zuadas sabe?Ele mandou foto da skin dele pra ela,sem querer ele disse pelo menos,mandou uma foto minha,tentou apagar mas ela tem um whatsApp que mostra mesmo assim,ela veio reclamar comigo sobre,já era a terceira vez que isso acontecia,e sempre pelo mesmo motivo(MENINOS),eu cansei sabe?pedi pra que nós nos afastássemos,seria melhor tanto pra mim quanto pra ela,nós bloquear se excluímos das coisas,tudo,me senti mais leve com isso,nas outras que ela brigou comigo eu saí destruída,ela já me falou coisas horríveis que me magoaram demais,espero que ela esteja bem,é que consiga uma pessoa melhor que eu,finalmente me sinto leve,pela primeira vez eu consegui pensar em mim,no meu bem,não nos outros,pode parecer egoísmo,mas foi libertador?Outra coisa,eu gostava dela,eu de verdade nutri sentimentos por ela que nunca senti antes por ninguém,é isso,não fazem nem dois dias sobre o assunto,mas queria compartilhar Por favor pense mais em você,pro seu próprio bem,nós pensamos demais se vamos magoar alguém e acabamos nos magoando,te amo okay?Fique bem💛😊(Muito obrigada por ler até aqui💛)
submitted by little-Flower_ to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 06:19 ForACoffeeBreak Fui parar no Hospital por me ferir com a espada de Gladiador do meu pai

Olá luba, melhores editores do YouTube, papelões sofredores, gatinhs e turma que está a ver. Essa eh uma história que eu não sei se foi causada pela minha paranoia ou se vai refletir no meu futuro ainda. Aiai
Bem, tudo começou nessa quarentena. Eu, sendo uma atleta (de corrida) não poderia parar de fazer exercícios, principalmente por ter duas lesões (sendo uma dessas um ligamento a menos no tornozelo) e tendo que estar em forma para quando esse vírus, digo, se esse vírus sumir. Para a minha gratidão, eu moro nos fundos de um prédio pequeno (3 andares) e ,assim, meu quarto não possui janelas mas sim uma porta de vidro que da para a varanda de fundos, e ele eh bem grande (tem uma parte vazia, que eu usava pra treinar quando ainda dançava, fui bailarina por 16 anos). Então da pra eu treinar tranquilo divergindo entre os cômodos.
Enfim, td foi dando certo nos primeiros meses. PORÉM, existe uma peculiaridade no meu treinamento. Como eu fui bailarina, eu meio que danço no treino, tipo, todo. Basicamente, eu monto uma playlist (composta principalmente de aberturas de jojo e musicais) e conforme a música eu tenho danças ou exercícios específicos. MAS, como o meu quarto tem uma porta de vidro, da pra ver tudo o que eu faço, principalmente o prédio de frente para o meu quarto. Eh um prédio baixo tbm mas eh de lojas, ou seja, os escritórios das lojas são virados para cá; e da pra ver td.
Vamos ao desastre: eu fiquei paranóica, pq meu exercício eh bem bem BEM constrangedor (já que eu fico dançando Golden Wind que nem uma louca) e uns dias pra cá um cômodo desses prédios da frente ligou uma luz, normal. Soh que não tem nada nesse cômodo, eh vazio, e eu nunca vi ninguém, e A LUZ FICA LIGADA ATÉ AS 4 DA MANHÃ. E NÃO TEM NINGUÉM.
eu fiquei com um cagaco e imaginei todos as situações possíveis que poderiam me matar e não conseguia mais treinar direito olhando pra lá. Logo, pensei, preciso me previnir! Aí vamos a espada. Meu pai eh geólogo, ou seja, ele viaja muito a trabalho. Numa viagem à Espanha, ele comprou uma espada genuína de gladiador, assim, genuína mesmo, eh pesada demais, e tem ela até hj (comprou a vinte anos atrás...).
Ora poix! eu tive a “brilhante ideia” de pegar a espada e botar de baixo do meu travesseiro, Caso a pessoa do apartamento tentasse vir me matar. Eu sei, eu sou retardada (mas ainda pode acontecer sei lá)
Passaram dois dias e eu pensei que tinha que me programar como faria, caso acontecesse de alguém invadir aqui, entao tirei a espada e comecei a analisar ela. Mas, como uma boa retardada, achei legal e comecei a posar na frente do espelho me sentindo uma Semideusa. Soh que a espada não parece fatal, digo, não eh que nem uma faca, vc não se corta raspando ela de leve na mão.
Aí, eu comecei a cutucar ela na minha panturrilha direita, botando um pouco de força, pra ver se realmente dava pra machucar. Depois de um tempo tava até doendo e pensei “poh, eh pesada msm” (CLARO EH DE AÇO).
Lembra que eu disse que rompi um ligamento antes? Então, meu pé esquerdo eh meio falho, e eu estava apoiando toda a minha força braçal na espada na minha panturrilha direita quando o meu pé falhou e a espada enfiou na minha batata da perna.
Sim, uma espada de gladiador eh fatal, e sim, eu nunca senti tanta dor na minha vida.
Eu gritei que nem uma condenada e óbvio que meu pai acordou (era uma da manhã). Quando ele me viu, ele não acreditou, e ficou tão puto que me deu uma chinelada. (Me feri e ainda apanhei) Ele nem gritou pq quando viu o estrago, o corte não era tão grande, tipo, enfiou os primeiro dois centímetros da espada, mas tava sangrando em boa quantidade, ele SURTOU e já tinha pegado as chaves do carro.
Mas, eh claro que tinha mais pra da errado, nada da certo na minha vida, quando eu me levantei pra me apoiar em uma muleta (que já tinha por causa da outra lesão) indo pro elevador, foi meio precipitado pro meu corpo, e desmaiei.
Bem, eu acordei numa cadeira de rodas no hospital, com uma dor HORRENDA na perna. Meu pai e meu vizinho (que eh um conhecido nosso) do meu lado esperando o médico, pra vc ver que meu pai teve que acordar o vizinho pra ajudar ele a me levar. E adivinhem soh, um roxo enorme na testa e no meu cotovelo de cair do desmaio. Eu tava com a perna já enfaixada (meu pai explicou que os paramédicos da emergência tinham feito os primeiros socorros COMIGO INCONSCIENTE) e estávamos esperando pra ver se eu teria que levar pontos e tal, o que era meio óbvio.
Enfim, eu levei 16 pontos na panturrilha. Não vou nem falar o quão constrangedor foi a nossa fala com o médico dps, eu ia comecar a explicar (amenizar a minha idiotice, como dizer que tropecei) mas eu n tava conseguindo me articular direito devido a td (neh) e o meu pai fez questão de me esculachar.
Faz 4 dias que estou de molho na cama, já consigo levantar sem doer muito ( a base de três analgésicos) mas não ando, claramente.
Foi MUITO louco e meu pai ainda não falou comigo direito sobre isso nem perguntou sobre a espada, só trancou ela no armazenamento do prédio (cada ap tem um). A luz do prédio da frente ainda liga a noite e agr eu REALMENTE não tenho como me defender se acontecer algo.
Sim, eu sou a pessoa de 19 anos mais desastrada e estúpida nesse mundo. Já tinha um ligamento rompido no tornozelo esquerdo e agr tenho pontos na panturrilha direita graças a uma espada de gladiadores romanos. Bjs lubixco e espero que tenha entretido vcs com a minha desgraça de vida ( eu com certeza morrerei sozinha assim)
submitted by ForACoffeeBreak to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.10 11:19 MayMenorQTres Sou babaca por terminar com meu namorado por ele ter mandado nudes pra amiga dele?

Olá Luba, gatas, possível convidado e chat, minha história de hoje é sobre o meu (ex)namorado. Ele(H,19), eu(M,16).
Antes da gente namorar, ele era muito próximo de uma garota da mesma sala que ele, e dps q a gente começou ele continuou com a proximidade deles. Eu tinha um leve ciúme mas sempre tentei ser legal e me aproximar dela.
Com o tempo (quase um ano dps) ele começou a me contar coisas q fazia com ela antes de estarmos juntos, como apertar partes do corpo dela (com ela namorando o melhor amigo dele), ficar deitado de conchinha com ela e quase trocar beijos, essas coisas, eu fiquei chocada, mas foi antes da gente então n tava tão chateada, até que ele me contou q eles meio que trocavam nudes, ela mandava vídeos dançando de biquíni e ele mandava um nude mesmo, e que continuou mesmo estando namorando cmg, durante uns 3/4 meses e fiquei muito irritada, mas perdoei, com o tempo ele ainda fazia coisas com ela que eu n gostava, pela proximidade deles, e eu pedia pra ele n fazer certas coisas, como falar com ela sobre coisas q a gente fazia, dps eu comecei a n gostar de nada que tinha relação com ela e pedi pra ele parar de falar com ela e ele n queria de jeito nenhum, dei um ultimato, ou ela ou eu, e ele me escolheu, mas sempre que podia ficava me enchendo falando dela, apaguei tudo q tinha dela no celular dele (sem consentimento) e n íamos a nada q ela ia, peguei raiva dela (ele falava q ela que pedia), dps de um tempo ele demonstrou ser muito abusivo, me forçando a fazer coisas e usando o meu psicológico para fazer eu me sentir culpada por não fazer oq ele queria quando ele queria, dps dele me forçar a ter relação com ele terminei, mas pesou muito tudo que ele fez com a amiga.
Depois dessa história toda, vc acha que eu fui a babaca?
submitted by MayMenorQTres to TurmaFeira [link] [comments]


2020.03.26 20:20 MrFancyRaccoon Frases de Moribundo

Cá está então a obra completa. Até então tenho reservado a esperança de um dia ver isto publicado. Peço-vos, por isso, que me puxem de volta à realidade, esmagando meticulosamente e todos os meus sonhos e ambições.
Vi em algum lado que é preciso dar dois espaço para separar versos. Se eu apagar logo o post é porque isso não é verdade.
Agradeço já às eventuais almas que tenham paciência para ler isto tudo.

I

Jubiloso este dia
em que as cortinas se me fecham!
Em cena vivi dançando
o tempo que queria.

Foi feliz a exposição,
e que belas personagens,
duo de seres que por mim agem,
as qu’ encontrei logo d’início!
Eu, que sozinho estava,
de dois fui logo acompanhado
e por décadas tesourado.
Ai que bela introdução!

Chegou também a minha intriga,
Em forte caule deu a espiga
mas o mesmo não saber
nunca deixei de o ter.
E aqui conheço os infelizes!
Tu, ó pessoa que me dizes
o quão triste é teu pensar,
tudo à volta dissecar
e extrair sentido algum.
Não mais faço eu que rir.
Se é pensar o existir
descarto já minha presença!
Somos bestas, animais,
não mais que superficiais
serão nossos julgamentos.
Deus esse a quem bradas
(esteja ele onde estiver)
se nos fez, fez-nos ocos
e, depois de mortos, fez-nos roucos.
Termina esse teu tentar.
Sê estúpido e vive a dançar,
comigo irás cantarolando!

Leva sorriso no defecho
sem razão a segurá-lo,
que se morres é pois viveste,
como qualquer, também tiveste
doçuras e térreos deleites,
que tu não os aproveites
é culpa tua e teu delírio
que sendo burro é tudo giro
Pode haver feio, mas não o vês...

II

Ai! Minha amada!
Vivo, cuidei que o amor,
ele e todo o seu ardor,
fossem maiores que nós humanos!
Não durava ele eternidade?
Não escapa ele a toda a idade?
Que triste é agora ver
depois de mim Outro te ter!
É amor vil ilusão!
É charada o casamento!
Meros endócrinos sinais
para haver acasalamento!
Nunca eu vi coisa eterna
que tão preste fosse a sumir
como o amor deste casal!
Bastou um de dois partir!

Apaixonado vivi
E (maldição) me esqueci
dum beijo mais doce que o teu!
Nem de nós o apogeu
cantei ou deixei por escrito,
ficou no agora restrito
tudo o que criei contigo.
Deitado no doce leito
tirei do amor o bom proveito
sem saber que no amar
arte nenhuma tinha feito!
Nestes meros anos de amor
em nada o meu nome deixo
senão nos lábios de quem pranta,
da desgraçada que prendi c’o beijo.

III

A terrível morte me assola.
Deixa os outros ir sem nome.
Pois a mim não o permito!
P’ras eras póstumas o repito
Pátroclo
Pátroclo
Pátroclo
Grito em tua face, Eterno!
Não me silenceias
pois de gritar tenho direito
tal é belo todo o feito
que deixo atrás par’ esta terra.

Sorriste-me, ó Fortuna.
Tive ao lado sempre o poeta
que não como à gente abjeta
me deixa no fim apodrecer.
Põe ele o sal no salvador
e canta bela toda a dor
de quem é merecedor.

Mais digno é quem a morte colhe
na dianteira da peleja
que aquele que esteja
toda a vida em sua toca.
É digno não pela refrega
mas pois a algo mais s’ entrega
que aquele que só tem boca.
Lavrei e combati
e, por isso, sucumbi
e fui d’igual embalsamado
por poeta e pela ninfa
e nenhum deles conheci.

Canta ele o meu Fado
e meu nome é lançado
para as bocas do futuro.

Por meu povo fiz o bem
Fiz a arte na peleja
É muito o saber que me beija.

Morro assim, concretizado
É meu nome entoado.
Por tudo que de grande fiz
Deixei no mundo cicatriz.

IV

Ao fim da linha
me dirijo apressado.
A mim coube a fortuna
de correr adiantado.

Vivi num gume afiado
Apoiado num só pé
e em jovial estupidez,
andei milhas d’imprudência.

O vento senti na cara,
à Sorte lancei os dados.
Mal sabia que d’ entre os Fados
era o meu o mais fatal:
“Jovens vivem para sempre,
se o sempre desejarem.”
Invencível me julguei,
com minhas carnes mais vermelhas,
meu entender mais aguçado,
e meu viver inda adoçado.
Por mim mesmo enganado
fui a vida acelerar.

Quem mais leves tem os pés
e mais curta a passada
bebe de uma só golada
todo o cálice consagrado
que delicia em lento agrado
o bebedor mais avisado
que o defruta mais pausado.

Enfim, vivi desenfreado
Criança sempre á gargalhada
Agora quem se ri é Hades
que celebra na chegada.

V

De pernas gastas
e fôlego arrastado
sem ânimo, ao fim sou chegado.
Não deixo a vida a meio,
corri toda a maratona.
Estafei os pobres músculos,
por mim foi promessa dada:
a de parar só na chegada,
que é lá, às brônzeas portas,
que toda a firme martelada
será a mim repaga em troco
de gotas da tardia glória.
(Não vai Deus esquecer a lavra,
nem meu lavrar será em vão...)

Mas agora que as vejo
nenhuma hoste me espera.
Tolo, esforcei por vil quimera.
Nada tive d’ Ele dado,
o berço não dourou Sua luz.
E sempre olhei para meu lado
e invejei o afortunado
que em meio de meu afinco
fazia mais do que eu e cinco.

Dei-te vida de trabalho
medíocre fiz mas muito
igual a maior fiz mas muito
nada de novo fiz mas muito
E mesmo assim não é meu nome
que dizes com tua voz...
É o dele, que menos fez,
do prendado inocente.
Olho-o e me olho de volta
e todo o ser se me revolta,
enoja o pensar
que não é a lavra que te agrada
é a beleza nata e bruta.

P’ro que dela não partilha,
e é ciente que não brilha,
fica só ressentimento
de que é por ti zombado
a cada sonho esmagado.
Enquanto vive s’ enganando
que algum dia, trabalhando,
oferecendo-te escravidão,
compra parcela de Eternidade.

E indicios deixaste tu...
Entre mortais tinha respeito...
Dos de meu tempo até louvor...
Nunca adivinhei a dor
que me darias e não ao outro.
Ao macaco de espetáculo,
mas por dentro recétaculo
de ouro que lá puseste
sem olhar p’ro que merece.

O dano sofri, espinhos pisei
De chagas me mostro repleto.
E, então, se não fiz arte?!
Não fiz eu a minha parte,
nulo mesmo assim nascendo?!
És tão cruel pr’a filho Teu?!
mereço assim eterno impasse,
de no silêncio perder a face?

VI

Mil rochedos de arrastão
carregou o coração,
acanhado, embaraçado,
quis mas não quis ascensão.
Parto para o vil Estige
e para mim nada redige
a Bela Musa Eterna.
Parece que nada atinge
aquele que nada finge
avassalado por Inércia.
Dela fui um fiel pajem,
cumpri dever de vadiagem.
Vagueei estulto, diletante
não notei gume cortante
que poisou, lento, na garganta
para no sempre a degolar.

Encravou ela meus dedos,
artrite deixou igual na mente
e anulou todo meu ser
impedindo meu tecer.

Vivi feito animal
E nada c’o esta idade
p’ra mim fui arrebatar
senão cruel mediocridade.

Para sempre em meu repouso
olharei o Ideal
Para lá nunca arredei pé,
adiei a vida p’ro final.
Olhar-te-ei, Sol que lá brilhas,
tu que me cantas maravilhas,
que me ecoas em vão o nome
enquanto a larva me consome.

Nulo abaixo parto.
Cumpro a justa sentença
de quem vive no seguinte
e só morrendo é que começa.

VII

Vivi vida enegrecida
pois toda a luz tive esquecida.
Tanto foi o meu pensar
que esqueci de me lembrar
que também sou animal,
também sou um cão banal
que quer seu osso p’ra rilhar.

Sempre vi o ignorante,
o sandio diletante,
e uma venda lhe pus nos olhos.
Quão errado estava...
Bem mais vêm eles
com os pequenos botões reles
da vida as coisas prazenteiras!
E eu de olhos bem abertos
mundos tenho encobertos
por detrás das prateleiras!

Esta minha dor ciente
é só eco estridente
da preguiça de amar.
Tanto há á minha volta...
Tão bela é a minha escolta
e eu sempre a pensar!

É terrível malefício
o racional ofício...
Sobre a folha de papel,
lá está mais quente o fervor
lá mais sentida está a dor
que a que deveras houve...
Direta foi doce vivência
para a ativa consciência
e dormente fica o corpo.

Triste é este destino
de do bom copo de vinho
mais cabeça dar á uva
ou de quem esmagou, a luva,
que ao sabor do rico suco.

E mais potente me lateja
a cabeça na peleja,
quando no passeio cruzo
família livre n’ ignorância
sem saber que tem seu termo,
que se destina a frio ermo
todo seu ilustre membro.
Dele nunca tirei os olhos
e vivi sempre a chorar.

E cá estou.

Livre de emenda
vejo a entrada estupenda
e cruza primeiro minha mente
todo o homem que a cruzou.

VIII

Ai, que grande meu azar!
Saiu-me na roleta
cair a bola em casa preta
e a morte me calhar!
E que bela foi a vida
de todo o pensar esquecida
bem ao lado dos amores!
Sem mulher casei-me cedo:
várias e não só uma
são as belas companheiras.

Primeiro, foi o doce néctar.
Longe vai a apoquentação
quando, morno, tenho na mão
o belo copo p´ra alegrar!
Qual arte, qual carapuça,
arde em mim a escaramuça
não c’o verso mas c’o a pinga!

Depois, veio meu rolinho,
enchido com especiaria
que a mim traz a alegria
(em outro lado não a arranjo).
Tem por nome Cigarrilha
e a ela estou tão devoto
que já levo pulmão roto
de carne tornado em carvão.

Chegam também as muitas gémeas,
as tisanas para as veias!
Cada uma é poção
p’ra diferente ocasião:
Se ao motor falta gasóleo
é pó de fada a cocaína.
Se da dor quero ser salvo
vem daí, minha heroína!
E se eu, terráqueo, voar quero
é S.Maria Joana que venero.

Por fim, vem a amada
que a morte trouxe, escarpada.
O colega trapacei
e toda a ficha despejei.
Como é bom perder o tino
na alcatifa de casino!
Á Fortuna ir rezar
p´ra fortuna me abonar!
A cavalo bendito, qual Pégaso,
amarei mais que a mulher
se ao bolso me trouxer
mais pecinhas p´ra apostar.

Agora parto para o Céu
e não vou acompanhado...
Onde estão as minhas queridas?
Cuidei que vinham a meu lado...
Toda a ficha que ganhei
vale menos que pataco.
Já cravei broca ao Eterno
e não sabe ele o que é tabaco...

IX

Sempre fui abnegador,
e sinto agora apenas dor.
Nunca em mim houve ardor.
Imóvel em minha cruz
ceguei-me de toda a luz,
passei em nome do pudor.

Minha fé, meu fanatismo,
meu seguro maneirismo,
sempre me consolaram,
perante a vista daqueles
que diante via felizes:
“Ignora-o, que ele peca!
É blasfemo por viver!
Imóvel fica em tua toca,
no Além podes correr!”

Ora, do Além já tenho vista.
Mais pequeno é qu’ imaginava...
Não há nele uma estrada
nesta terra não há pista.
Era pois a fé fachada,
seu nome era outro.
Não era águia mas polvo,
que me iscou e subjugou
e logo me confortou
com mentiras das sagradas.

E deste pano fui avisado,
lembro ler num evangelho,
de um pároco mais velho
que aos peixes dirigia
palavras de sabedoria
p’ra est’ evitar a isca
pela qual a vida arrisca
cegado por seu canto doce.
Sereia é esta empresa,
caça nas gentes a moleza
e trapo mete em seu diante
a ver se caça mais um servo
que além desse já não veja
o faminto a mirar a bóia.

Palavras belas as desse homem
a quem me esquece já o nome,
pois dele então nunca fiz caso,
(se lhes chamou de sal estragado,
certo é que diz pecado.)
Mas dizia então verdade,
e só o sei pois estou caçado
entregue agora a meu fado,
já sumiu o pano á muito.
Agora vejo que não cacei
mais nada para minha herança.

Acima perguntei
antes de fazer a arte
mas sobre mim não havia rei.
Era ele de mim parte
que eu, tolo, não usei.


X

O silêncio que esperei
grita alto à minha porta.
P’ra isto me preparei,
há muito levo a alma morta.

Não vibrou uma só palha.
Não levantou qualquer poalha
neste corpo que foi nulo.
Nenhum cálice me chamou
senão o de brandy
que momento na mão pousou.
Não doeu este caminho,
mas doce não o vou chamar,
que é quase exagero
de vida o denominar.

Falei sempre minhas crenças
e julguei que as ouviam.
Na margem a olhar o rio,
escondido das desavenças,
já parecia maluquinho,
ali postado, a falar sozinho.
(p’ra Lídia me dirigia
e cruzou ela o Estige
em milénio de outrora)

“Muita deve ser a dor
que ele esconde e que nega,
que por lá dentro há refrega
que ao Sol está por expor!”
Dizia o mais avisado
que ao andar me viu parado
e continuou alegre o passo.

E vejo agora, inda calado,
que, por muito dano dado,
deu-lhe Deus melhor destino:
teve chance de ser divino,
se não o foi podia ser,
e teve a vida este sentido.

E disto não me apercebi,
sem propósito me julguei,
como tal vetei ser rei
de tudo o que é além de mim.
Da mais leve e fresca brisa,
fugi sempre acautelado,
menos turva que o quedo lago
tive a miragem do Final.

Amadas nunca tive.
Memória não tenho.
Coração nunca terei.
Vivi nunca sendo vivo.
Do agora m’ entretenho.
E coisa alguma a mais terei.

XI

Que ira esta de partir!
Eu que trigo acumulei
parto de onde era rei
sem um tostão a reluzir?!

Não aceita o barqueiro notas
p’ra cruzar o fatal rio?!
Recolhe somente o preço tardio
em dracmas (por mim trocados
por peça de gado, por uns bordados...)
Cuidei que valessem menos
que os doces bens terrenos!
Tem afinal a alma preço...

A mesma mão de osso frio
estende ao herói e ao sandio.
E os que meti na sarjeta
dão-lhe o dobro e com gorjeta!
E eu, sem nada para dar,
de mim fico sem nada,
cuidei que a chave dourada
me dava certa ao Céu entrada.

Despido estou de minhas vestes,
caem em mim todas as pestes,
nos pés não tenho sola
e ao mendigo peço esmola.

Bem difícil é a vida
do patrão rico no submundo.
Já não posso ser imundo
sem a bolsa bem nutrida.

XII

Coisa mais trágica...
Começo eu a perceber
a charada em que me foi meter
o que a chave me esconde.
Do fumo desenham-se, difusas
as doces linhas de resposta,
já daqui vejo, gloriosa...
Mas deu á neblina ideia
de tudo em simultâneo,
em suspiro momentâneo,
a revelar à recém-carcaça.

E o que é da busca,
do caçar que foi a vida?
Que é feito do dano e dos lavores,
que sofro desde a partida?
Condenas-me á procura
e em vida não me dás
resposta que me apraz,
morro doente e dás-me a cura?

Cacei sempre o conhecimento,
tomei-o por migalhas Tuas
deixadas entre as falcatruas
p’ro avisado as colher
e em algum ponto ter
peça final aglomerada
que deixe a alma saciada.

E por elas deixei de ser,
deixer de ver senão abaixo,
olhava a pista cabisbaixo,
certo de que levava a prémio.
Julguei ter mais alto propósito
neste, do saber, depósito
além do de esperar insciente,
olhando só o lá na frente,
á espera de Hora determinada
p´ra verdade ser revelada.

Toda a milha percorri
no dorso duma pergunta
e é às portas do Eterno
que esteve comum a resposta.

Cruel és, ó Divino,
Comichão em mim puseste,
em cisma louca enfureceste
este teu ser a procurar
só p’ra na vida fracassar
e dás-lhe o prémio só na morte,
a ele e á quieta hoste.

Lá terei de aceitar...
Pelo menos descobri ,
sempre havia solução
é só pena cair na mão,
e quando já a levo fria...
Pelo menos o que de mim passa
Já não passa curioso
Coisa mais trágica...
Coisa mais trágica...

XIII

A um dia de Amadeus
nasci eu a vinte seis
e a um passo d’ Infinito
cumprirei as tristes leis
que a morte reserva ao homem
que, mesmo grande, não tem voz
para a si mesmo ecoar
entre os egrégios avós.

Nasci de cabeça acesa
e pronto estava p’ra empresa...
Mas só mais escuro tornava o dia,
e nunca o caminho alumia.
Só a chegada tive por certa,
este nó que se aperta
já o sinto no pescoço.
E já é tanto o alvoroço
e inda vai cheio meu cálice.
Mas tal refuto:
Há diferença entre cadáveres
se um o sabe e outro não?
São iguais no seu destino
só que um nasceu com tino
e outro não sabe que é cão.

Nasci alto quanto baste
para espreitar pela vereda,
intransponível labareda,
que comum adentro me confina.

Vejo pois os Elíseos Campos,
uma estrada de infinito
onde apenas com um grito
por século o nome espalharia
Mas não ganhei a voz ainda.
Espero quedo sua vinda
e sei já que espero em vão
Pois para mim está já traçado
morrer como os demais,
despedaçado por animais,
não mais p’ra vida instrumento
que expele rouca sua música.

Não escaparei á naturalidade.
Não clamo parcela d’ Eternidade.
Abraço assim o esquecimento.

É assim duplo o azar,
os da morte e do nascer,
trezes entre si somados
da perfeição ao cubo apartados
por um só passinho em frente
que o lá de cima entende
ser aquele em que tropeço
ao pagar último o preço.
submitted by MrFancyRaccoon to escrita [link] [comments]


2019.08.02 01:34 bringmethegiu Alguém se lembra do confuso sobrinho?

Alerta de leitura muito grande
Quando eu era menor eu costumava pensar que todo mundo que um dia já foi famoso na TV tinha uma vida feita, nunca mais ia faltar um emprego e provavelmente essas pessoas já eram ricas mesmo que nem precisariam trabalhar depois daquilo.
Mas como sempre a realidade veio e eu descobri que não era bem assim, um dia andando pelo centro da cidade com minha mãe, ainda na minha adolescência, vimos um ex animador de palco (Não sei o nome certo) do programa do ratinho, ele dançava de um jeito meio ridículo em meio as pessoas apressadas no largo são bento, em frente ao mosteiro, e ao seu lado uma banquinha expondo alguns CDs que ele estava tentando vender, poucas pessoas prestavam atenção nele, e eu não conseguia entender, afinal, ele era famoso, como podia ele que um dia passou pelo programa do ratinho (na época bem mais em alta) estar na rua dançando pra vender alguns CDs e conseguir alguns trocados? Lembro que isso mexeu comigo por algum motivo.
Mas vida que segue, cresci e passei a entender o mundo um pouco melhor, descobri que nem sempre os famosos tem um final feliz. Ano passado recém completados meus 20 anos estava indo pra casa da minha namorada de trem na linha 7 rubi, eis que avisto uma figura que fez parte da minha adolescência, confuso sobrinho, personagem da era de ouro do pânico na TV (ou na Band), lembro de chegar na escola na minha adolescência e ver praticamente todo mundo comentando sobre o pânico e repetindo as frases idiotas do programa, nunca dei muita atenção pro pânico mas eu adorava as participações do confuso principalmente quando ele fazia o homem pássaro enfim, voltando a 2018 ele passou por mim, eu imaginei que ele estivesse voltando pra casa, mas pra minha surpresa ele pegou uma caixinha de bala na sua bolsa e começou a tentar vender suas balas, ele não era muito bom nisso, imagino que pela sua deficiencia que descobri naquela hora que não era coisa do seu personagem, ele realmente tem algum problema, depois de perceber que ninguém estava interessado ele desistiu e guardou suas balas e seguiu viagem, um pouco depois ele notou uma mulher sentada comendo salgadinho e disse:
A mulher o ignorou, mas ele não parava de secar o salgadinho em suas mãos logo a estação dele veio e ele desceu, em Jaraguá se não me engano, lembro de ter cogitado tirar uma foto com ele, até pq eu gostava do seu trabalho, mas fiquei com medo de ele agir negativamente e parecia que ele não tava batendo muito bem de qualquer forma notei também que ele não estava muito bem vestido, longe de mim julgar a roupa dos outros, cada um usa o que quer, mas a roupa dele passava uma impressão de necessidade, que ele realmente esta em uma situação difícil, eu lembro disso também ter um grande impacto em mim, tanto que lembro da cena toda com muita clareza enquanto tenho dificuldade pra lembrar o que comi ontem, eu acho uma situação muito triste pessoas que uma vez já foram de certa forma bem sucedidas hoje estarem esquecidas e em situações como essa, parece pra mim que a televisão de certa forma encontra esses "personagens" engraçados em situação difícil, contrata eles por um salario de merda mas que pra eles é a salvação, e quando o programa acaba ou eles deixam de ser tão engraçados é cada um por si, eles dão uma ponta de esperança pra essas pessoas se segurarem mas quando soltam elas caem e se afundam ainda mais do que antes.
Pesquisando um pouco aqui por curiosidade encontrei um video onde eles dão uma festa de aniversário pro confuso, onde estavam presentes muitas celebridades, inclusive João Doria, tenho uma leve desconfiança que ninguém foi a festa realmente por ele.
Esses são os dois exemplos que eu tive o desprazer de ver esquecidos pelo mundo, mas tenho certeza que existem muitos mais assim que não tiveram tanta sorte, pra essas pessoas só existe a lembrança dos tempos de ouro e a esperança de que alguém se lembre dela e possa ajudar comprando uma bala ou levando um CD, pq as emissoras? As emissoras nem ligam.
Obrigado se você leu até aqui, sinceramente eu tenho 0 entendimento do mundo, pq as coisas são assim ou pq eu tive vontade de contar essa história pra vocês, mas compartilhar faz bem não é mesmo? Lembrei de um terceiro que não sei que fim levou, só sei que se envolveu em muitas polemicas e foi preso varias vezes, Zina essa vai pra você meu querido!
Ronaldo, brilha muito no Corinthians
submitted by bringmethegiu to brasil [link] [comments]


2018.12.03 21:54 IkenakTaog Meu suicídio - Pesadelos

Eu me chamo Chris e tenho 18 anos e moro em uma cidade conhecida até Manaus-AM, alguns dias tem ocorrido algumas coisas estranhas, eu tenho uma leve suspeita que alguém está me seguindo ou me observando enquanto digito isso.
Começou após a festa que aconteceu a 1 mês atrás na casa do meu amigo Thiago era aniversario dele e não podia nem pensar em deixar ele na mão, eu lembro de que alguém tinha batido ou foi impressão.
Depois daquela noite meu olho direito tem uma leve sensação de queimação e nesse dia percebi que tinha um cara de blusa azul e uma calça jeans me olhando durante a festa e não é de certeza mas acho que seja ele que está me seguindo e sinto que eu deveria para de ser tão paranoico em relação a isso.
São 16:38 do dia 03/12
Eu fico mais relaxado sabendo que tem minha família atrás de minha porta, isso me preocupa também, caso eu esteja certo e esteja sendo seguido mesmo, eu não quero pensa tanto nisso.
Algumas coisas que tem acontecido são: Era uma quarta-feira e tinha acabado de chega na festa e uma homem acabou batendo o ombro em mim, pedir desculpas logo em seguida mesmo ele sendo o culpado, continuo olhando as pessoas na festa e naquele mesmo estante acabei vendo o cara de blusa azul em um canto bebendo um copo de Whisky e olhando para o espelho, eu olhei para o espelho e conseguir percebe que ele estava me olhando pelo espelho, isso me deixou meio nervoso e sentir um arrepio na espinha, me virei e fui direto para cozinha onde Thiago estava conversando com seu irmão Davi, após aquilo estava todo mundo dançando na sala e acabei entrando na onda e pulando e gritando até que sentir algo na minha nuca e foi como uma pedra, cai e olhei para trás onde vi o cara de blusa azul se virando e correndo.
Tinha ido para cara e sentir aquela sensação de algo te olhando, me virei e vi um carro no final da rua ligado e comecei a andar, tempo vem tempo vai, já estava na rua da minha casa e não sei exatamente o motivo mas olhei para trás segurando minha cabeça e vi o mesmo carro no final da rua, eu sentir um arrepio e sair correndo para dentro de casa, eu tinha deixado a porta de casa aberta e nesse horário que não era tarde minha mãe não fecha a porta de casa, entrando expliquei o que aconteceu para minha mãe e ela disse que eu devia ta confuso por conta da batida e trancou a porta de casa e me deu um pano de gelo.
após isso todo dia até hoje vejo um carro como aquele subindo a rua e nunca consigo ver quem tá nele, algumas vezes vejo um cara branco de óculos escuros e boné perto perto de onde estudo ( perdi um ano quando pequeno ainda to na escola) meus amigos falam que deve ser algum traficante e deveria deixa de lado.
Eu só queria desabafa sobre isso que tem me deixado muito nervoso e maluco, de qualquer forma isso ajudou, não posso conta isso para ninguém por medo de pensarem que to ficando louco ou doente
Espero que tudo isso acabe logo e que nada seja real.
submitted by IkenakTaog to u/IkenakTaog [link] [comments]


Kamy10 - YouTube IN MY FEELINGS DANCE CHALLENGE KIKI DO YOU LOVE ME DANCE ... Momentos Noart #3 - Sina Deinert & Noah Urrea - YouTube COMO PERDI 13KG SEM TREINAR  PROJETO BABA BABY - YouTube Ivete Sangalo - Poeira - YouTube Take Me As I Am - October Project DJ Snake ft. Justin Bieber - Let Me Love You TRADUÇÃO ... LEVN - Chainz 2 (Clipe Oficial) (ft. Wacce, Lil Vith & Lil ... Hip hop Dança de rua espetacular - YouTube Acho Que É Amor (Letra) Giovanna Chaves - YouTube

  1. Kamy10 - YouTube
  2. IN MY FEELINGS DANCE CHALLENGE KIKI DO YOU LOVE ME DANCE ...
  3. Momentos Noart #3 - Sina Deinert & Noah Urrea - YouTube
  4. COMO PERDI 13KG SEM TREINAR PROJETO BABA BABY - YouTube
  5. Ivete Sangalo - Poeira - YouTube
  6. Take Me As I Am - October Project
  7. DJ Snake ft. Justin Bieber - Let Me Love You TRADUÇÃO ...
  8. LEVN - Chainz 2 (Clipe Oficial) (ft. Wacce, Lil Vith & Lil ...
  9. Hip hop Dança de rua espetacular - YouTube
  10. Acho Que É Amor (Letra) Giovanna Chaves - YouTube

Ficha Técnica Beat: LucPuff Mix/Master: Lil Vith Composição: Wacce, Lil Vith & Lil bae Direção e Edição: Bob Morais Instagram @levn.mob @lawacce @lilvithx @l... Ivete Sangalo - Poeira! Imagem e Som HQ ! Qualquer reclamação, favor, escrever em comentários! Leve-me enquanto você pode Eu posso ve-lo na entrada fumegante Deixando suas boas intenções Deixe as sombras dançantes Dançando por elas mesmas Seja livre por este momento agora. Tutorial Kiki Do You Love Me Dance : https://youtu.be/JS7ZCZxjFBU Hello guys... Dance kali ini kita membawakan 'Kiki Do You Love Me Dance Challenge' Yang uda... Inscreva-se no Canal Cúmplices News 2.0: https://www.youtube.com/channel/UCCUd... Siga no Instagram: @canal_cumplicesnews ☆☆Inscreva-se no canal e aproveite ... Nesse programa eu tiro todas as dúvidas de vocês sobre a dieta que me fez perder 13Kg. Loja Oficial: http://www.pbbstore.com/ Facebook: http://on.fb.me/1JJiX... CREDITOS E APOIO AO ARTISTA musica: Favorite Girl (Album Version) - Justin Bieber https://www.youtube.com/watch?v=2u2Z07ujyD8 http://goo.gl/JzoBMJ Como emagrecer dançando - Hip hop Dança de rua espetacular O que achou da apresentação de Hip hop Dança de rua espetacular exibida Hip h... Gostou no vídeo? quer mais traduções/letras de musicas? então se inscreva-se no canal e não perca vídeos como este! Não se esqueça de deixar o seu like, obri... Inscreva-se 💖 vou trazer vários vídeos e tudo mais💖 parcerias: ~Emy Pandinha💕